Saturday, September 21, 2019

Caminho de Santiago de Compostela - caminho da Costa




Caminho de Santiago de Compostela - caminho da Costa (com inicio no porto)

Santiago de Compostela way across Portugal coast

Maio 2019

Eis uma nova aventura a caminho de Santiago de Compostela.


Desta vez fui eu o desafiado, pois esta viagem não estava nos meus planos imediatos.

Mas foi com muito prazer que aceitei o convite da familia Meireles, para me juntar a eles nesta peregrinação dos primos.

O grupo era constituido pelo Ricardo (pedalar com valor) e os primos, o José do Porto, a Marta de Nantes, e o Mário de Braga.

A companhia foi de alto nível. A tranquilidade, harmonia e a boa disposição imperaram durante toda a jornada, tornando estes dias ainda mais gratificantes.

A peregrinação teve inicio na Sé do Porto. A distancia prevista para chegar a Santiago de Compostela era de 290 km, divididos em cinco dias.

Para chegarmos ao Porto optamos pela viagem de comboio no intercidades.

O caminho português da costa é um caminho muito bonito e surpreendeu-me pela positiva, pois alia à beleza das praias e dunas, a beleza de montanha e floresta. E não menos importante, as localidades atravessadas ao longo do caminho.



Resumo das etapas:

Dia 1:  Porto - Marinhas (Esposende)
         
Distância: 67 km
Tempo: 4:48h
Altimetria: 260 mts


Dia 2:  Marinhas (Esposende) - A Guarda (Espanha)

Distância: 58,5 km
Tempo: 5:13h
Altimetria: 898 mts


Dia 3: A Guarda - Redondela (não seguindo totalmente o caminho)

Distância: 77 km
Tempo: 5:43h
Altimetria: 724 mts


Dia 4: Redondela - Padrón

Distância: 63,85 km
Tempo: 5:25h
Altimetria: 1108 mts


Dia 5: Padrón - Santiago de Compostela

Distância: 26,4 km
Tempo: 2:19h
Altimetria: 534 mts


Distância Total: 292 km
Altimetria total: 3524 mts


Resumo dos dias 

Viagem Lisboa - Porto (de comboio)


Parque das Nações (Lisboa)























Comboio Intercidades






















Estação Campanhã (Porto)
Porto





Sé do Porto - Mário, Ricardo, Marta, José, Faustino



Dia 1:  Porto - Marinhas (Esposende)

Como havia referido, o inicio da viagem foi na Sé do Porto.
Seguimos diretos ao rio Douro, sentido da foz, e a partir daí, sempre junto ao mar.

Para além do Porto, passamos pelas localidades de Matosinhos, Vila do Conde, Póvoa do Varzim e Esposende, entre outras de menor dimensão.

É um dia em que se circula maioritariamente junto ao mar, muito em passadiços sobre as dunas das praias, pelo que não teve praticamente altimetria.

Almoçamos em Vila Chã, no café praia mar da Sra. maravilhosa, onde fomos bem servidos.

O alojamento foi no Albergue de Marinhas em Esposende. Na localidade existem restaurantes, cafés e supermercados, relativamente perto do albergue.

O registo para entrar no albergue terá de ser feito no edifício da Cruz Vermelha que se encontra a cerca de 300 metros antes de se chegar ao albergue.
Para quem vai de bicicleta, dizer que houve alguma dificuldade em as arrumar dentro do edifício, pois a filosofia de quem gere o albergue é não o permitir.

Em termos de condições, cumpre em termos de alojamento, sendo o espaço exterior muito agradável.






Foz do rio Douro
























Farol da Boa Nova - Leça da Palmeira

















Vila Chã














Vila do Conde





    

















Esposende








Albergue de Marinhas


Dia 2:  Marinhas (Esposende) - A Guarda (Espanha)

Neste segundo dia afastamos-nos da costa, sendo esta etapa caracterizada por alguma montanha e floresta.

Foi por isso um dia mais exigente fisicamente, contudo mais entusiasmante do ponto de vista da experiência de todo o terreno.

Um dos pontos altos do dia foi circular no trilho junto ao rio Neiva, outro foi passar à igreja de Castelo do Neiva, onde para além da beleza do monumento, havia uma oferenda de bananas à disposição dos peregrinos.

Outro aspeto a realçar, foi a travessia do rio Minho por barco, para atravessar para Espanha.

A passagem por Viana do Castelo e Caminha também marcaram o dia.

Outro aspecto a realçar é que, se no dia de ontem tínhamos o mar a silenciar o ruído menos saudável das nossas mentes, oferecendo-nos uma etapa de serenidade e tranquilidade espiritual, o dia de hoje oferecia igualmente muitos momentos onde era fácil descansarmos a mente e encontrar a paz de espirito em comunhão com a natureza, fosse no meio da floresta onde junto a um ribeiro ou rio.

O albergue de A Guardia fica perto da zona histórica da localidade e tem boas condições de alojamento.

Para jantar, deslocámo-nos à zona do porto náutico, onde havia vários restaurantes por onde optar.



Marinhas








































Rio Neiva







Rio Neiva




Castelo do Neiva













Viana do Castelo






























































Registo Fóssil















Vila Praia de Âncora




































Caminha





Travessia de Barco Portugal - Espanha





Espanha













A Guarda




Albergue




Porto nautico de A Guarda



Dia 3:  A Guarda - Redondela

Terceiro dia de viagem, primeiro dia completo em Espanha.

Hoje não seguimos totalmente o caminho de Santiago, optando por seguir sempre junto ao mar.

O percurso, realizado num dia de sol, leva-nos a descobrir uma paisagem fascinante, ao longo da costa espanhola.

Passamos por algumas pequenas localidades, e algumas mais importantes, como Baiona e Vigo.

Almoçamos em Praia do Canido, em Oia (Pedreira), já perto de Vigo.

A travessia da cidade de Vigo revelou-se o trajeto mais difícil e confuso do dia, até porque deixamos de ver a sinalética do caminho, e o transito é muito intenso, visto ser já uma grande cidade.

Depois seguimos pela estrada nacional até Redondela (trajeto igualmente complicado pelo muito trânsito a circular), onde o camino da Costa se une ao caminho central.

Redondela é uma cidade pequena, onde restaurantes, cafés, lojas, etc, estão ao alcance de uma pequena caminhada.

Este ano, ficamos alojados num novo albergue, o qual recomendo vivamente, pelas excelentes condições que disponibiliza - Albergue Paroquial Santiago Apostol.

A Guarda





























Baiona




Baiona

























Vigo



























Albergue Paroquial Santiago Apostol - Redondela












Redondela



Dia 4:  Redondela - Padron

Quarto dia de peregrinação agora no caminho central, percurso já realizado, por mim e pelo Ricardo, na anterior peregrinação a Santiago de Compostela.

Ainda assim, foi igualmente gratificante, como se estivéssemos a fazê-lo pela primeira vez.

Este trajeto é repleto de motivos de interesse, com muita simbologia ligada ao camiño, em igrejas, em monumentos em localidades, e depois tem ainda muitos trilhos de inegável beleza.

Passamos pela bonita cidade de Pontevedra, sempre bastante animada.

Desta vez almoçamos num "Furancho", que é uma garagem de uma vivenda privada, em que os proprietários podem vender o excesso da sua produção de vinho (não podendo vender nenhuma outra bebida), vendendo igualmente tapas caseiras confeccionadas na cozinha da casa - foi interessante.

Passagem pela localidade de Caldas de Reis, riquíssima em monumentos e referências a Santiago.

E uma vez mais, ficamos hospedados em Padrón.

Foi-nos possível ficar alojados no albergue municipal, o qual também recomendo, pois tem optimas condições e está muito bem situado.

Padron não é uma localidade globalmente bonita, mas tem muitos monumentos e é muito importante na história de Santiago de Compostela, pois segundo reza a história, foi para aqui de os restos mortais do apostolo Santiago foram transportados de barco vindo da terra santa (Israel). Daqui seguiram por estrada até Santiago.

Para além disso, tem restaurantes, cafés e lojas permitindo um bom apoio aos peregrinos.






















Ponte Sampaio sobre o rio Verdugo





































Pontevedra






Catedral de Pontevedra
























Furancho











Caldas de Reis





Fonte de água termal






Caldas de Reis

















































Padron




Padron

Albergue








Dia 5: Padron - Santiago de Compostela

Último dia de mais uma peregrinação.

Um dia com poucos quilómetros mas com muita subida, num ambiente mais rural/citadino, mas ainda assim, com alguns troços em mancha verde que entusiasmam.

Por estarmos tão perto de Santiago de Compostela, é um dia em que nos cruzamos com muitos peregrinos, eventualmente a maioria no seu último dia de peregrinação.

A chegada à Praça do Obradoiro é sempre motivo para festejar e foi isso que fizemos.

Ainda que o objetivo da peregrinação não seja o fim, isto é, chegar, esse será sempre o melhor desfecho de qualquer viagem, e felizmente temos sido abençoados.

Assim, o âmago destas peregrinações é o caminho, a viagem, com todas as vivências e experiências que nos enriquecem, que nos castigam, mas que nos fortalecem de alguma forma, e que nos transportam para outra realidade, de liberdade e comunhão, que nos deixa saudade e nos faz bem à alma.

























































Santiago de Compostela
































Fim


Agradecimentos especiais hoje e sempre à minha familia, vão sempre no meu coração.

Agradecimento muito especial ao Ricardo, grande amigo, um coração puro - obrigado por me considerares para me juntar a ti e à tua familia, é sempre um previlégio e uma honra.

Agradecimento à restante familia, Marta, José e Mário por me receberem tão bem, e pelo magnifico espirito que trouxeram para esta viagem, o espirito do Norte! 

Kap##a de viagem - ADOREI!
















































No comments:

Post a Comment